Logotipo Abrap

Associação Brasileira de Prefeituras

Notícias na Abrap

Prefeitura Municipal de Boa Vista e o Projeto Crescer

Prefeitura Municipal de Boa Vista e o Projeto Crescer

Foto: Prefeitura do Municipal de Boa Vista

Em 2001 existiam na cidade de Boa Vista 35 gangues urbanas, conhecidas pela prática de atos violentos, disputas territoriais e envolvimento com o tráfico de drogas. Conhecidas como “galeras”, eram integradas por jovens, a maioria moradora de regiões de alta vulnerabilidade social. A partir de um amplo diagnóstico socioeconômico, que abrangeu todo o município, os números da violência tornaram-se nomes, rostos, endereços e ganharam uma explicação: a situação de pobreza e indigência em que viviam 17 mil adolescentes.

Para mudar tal situação, a Prefeitura Municipal foi em busca desse público em ações como o Esporte Noite Adentro, atividades noturnas nas regiões em que as galeras atuavam. Essas noites marcaram o início do contato entre os gestores e os adolescentes e estabeleceram os alicerces principais do projeto Crescer: A Confiança e o Acolhimento.

“No início, eles chegaram a se esfaquear na minha frente. Em um determinado momento, me entregaram as armas. Pedi a um desses garotos para sentar na minha mesa e ouvir todos os problemas da cidade. Criamos com eles uma relação de respeito, algo que eles não tinham por ninguém”, conta a Prefeita Teresa Surita, criadora do projeto junto ao gestor Moacir Collini.

“Em 2001, as pessoas ainda não compreendiam a importância desse trabalho. Quando o projeto foi interrompido, a violência voltou, e a sociedade, que era contra, passou a pedir o retorno do Crescer”, acrescenta a prefeita, que reconhece que enfrentar a violência juvenil é “colocar o dedo na ferida”.

Em 2004, foi criada a Escola Frei Arthur, que passou a abrigar todas as aulas oferecidas pelo projeto. As aulas, distribuídas em uma grade estruturada, incluíam oficinas de artes plásticas, moda, música, xadrez e cursos profissionalizantes. Além disso, uma cooperativa foi fundada para comercialização dos produtos criados pelos alunos, que dividiam a renda.

Confira a matéria completa clicando aqui.

Fonte: Revista Prefeituras em Ação